Desculpa

Desculpa se sou movida a sentimentos, se só funciono com beijos, carinhos e palavras apaixonadas.

Desculpa se preciso de dedicação especial, se sou insegura.
Desculpa se exijo mais cuidados do que os que me podes dar.
Desculpa se não olhei para os lados antes de atravessar a linha que leva ao amor.
Desculpa se não pensei duas vezes antes de mergulhar de cabeça no nosso romance, se me entreguei sem titubear, incondicionalmente.
Desculpa se sou humana, se erro ao tentar acertar.
Desculpa se fui sincera, se confiei e busquei em ti a compreensão que tu não me podes oferecer.
Desculpa se acreditei em nós os dois; mais do que devia, se me apego fácil e não sei gostar só um pouquinho.
Desculpa se não pude ser a namorada que tu sonhavas ter.
Todavia, não sei se devo desculpar-me, já que nem ao menos estou certa de que consigo te absolver.
Não sei se te perdoo pelas coisas que tu feziste sem pensar, pelas suas palavras amargas ou seu silêncio indiferente.
Não sei se te perdoo pelas noites que não adormeci, pelas madrugadas que chamei e tu não me atendeste.
Não sei se te perdoo pelas lágrimas que derramei e pelas que ainda insistem em correr pelo meu rosto.
Não sei se te perdoo por me julgar e criticar sem ao menos me ouvir ou tentar entender.
Não sei se te perdoo por brincar com meus sentimentos, por desprezar o que senti e sinto por ti, por me humilhar quando o que eu mais queria era o teu carinho.
Não sei se te perdoo por tudo o que sofri por ti.
Sei que tu não queres as minhas desculpas, que tão pouco pedes-me perdão.
No entanto, insisto: desculpa se te quero odiar mesmo te amando com todas as minhas forças.

 

(Márcia Duarte)
publicado por Giih às 17:44 | comentar | favorito